15 de maio de 2020 Ar livre , Aventura , Carnaval , Cultura

Carnaval no Rio de Janeiro: dicas para gastar pouco saindo de Porto Velho

Destino: Conheça Porto Velho, a cidade de muitos brasis

O Carnaval no Rio de Janeiro é um dos meus preferidos no Brasil. Já estive lá quatro vezes nos últimos anos, passando por São Paulo e Recife/Olinda. Em breve espero ter vivências para contar em Belo Horizonte e Salvador e compartilhar tudo por aqui também!

Para quem, assim como eu, precisa planejar uma viagem saindo da Região Norte, em especial de Porto Velho – RO, sabe como é difícil com a pouca quantidade de voos disponíveis. Isso exige maior esforço na busca por uma opção de voo com pouco tempo de deslocamento e preços baixos/justos.

Então, relacionei algumas dicas que eu levo em consideração na hora de planejar essa viagem tão esperada todo ano para que ela seja proveitosa, tenha baixo custo e seja muito animada!

Período

Fevereiro, mês em que geralmente temos carnaval, é sempre muito movimentado. As festividades começam com os ensaios das escolas de samba, blocos de rua e até os maiores logo em janeiro, aproveitando o período de férias.

Quem tem disponibilidade de tempo nesta época, quanto mais conseguir antecipar a chegada e adiar a volta, melhor o preço da passagem.

Nos últimos anos eu tenho comprado passagem para chegar quinta ou sexta e voltar na quarta-feira de cinzas, mas antes e depois desse período os preços ficam mais em conta.

Passagem

Por se tratar da alta temporada, as passagens geralmente precisam ser compradas com a máxima antecedência possível. Nos últimos anos consegui comprar no mês de novembro do ano anterior por R$ 900 em média.

Um amigo comprou chegando na segunda-feira que antecede a semana do carnaval e voltou no outro fim de semana e pagou menos de R$ 600, ida e volta.

Hospedagem

A hospedagem vai variar de acordo com os blocos que você tem interesse em participar. Como as nossas opções são mais alternativas, voltadas para o público LGBTQI+ e gay friendly para as amigas e amigos héteros, os blocos são todos pelo Centro ou em locais de fácil acesso saindo dali.

Os bairros que já ficamos foram Tijuca e Centro, sempre próximos a estações de metrô para facilitar o deslocamento, já que algumas ruas e avenidas ficam fechadas e é bem ruim se locomover de carro de aplicativo.

Já fiquei na casa de uma amiga que morava no Rio na época, já vi amigos alugando Airbnb e também já ficamos em hotel. Aqui também prevalece a antecedência, pois as melhores opções e mais baratas, principalmente para quem quer ficar na Zona Sul (Ipanema e Copacabana) perto das praias.

Outro detalhe importante é sobre a reserva através do Booking em datas de alta temporada, não só no carnaval, como Réveillon e Rock in Rio, por exemplo. No aplicativo ou site, nestas épocas, a hospedagem não pode ser parcelada. Há opções acessíveis e bem localizadas, mas o desembolso é feito de forma única no cartão de crédito. Ou seja, é preciso de programar para pagar em apenas 1x.

Blocos

Os blocos de rua são minha opção no carnaval do Rio. Animados, democráticos, com marchinhas e axé, também tocam releituras carnavalescas de sucessos de outros ritmos. Abaixo compartilho a lista dos blocos mais legais que fui ao longo desses anos.

  • Minha Luz é de LED
  • Amigos da Onça
  • Bunytos dy Corpo
  • Saimos do Egito
  • Sereias da Guanabara
  • Blokete
  • Boitolo
  • Boitatá
  • Bloco Secreto
  • Toco-Xona
  • Bloco da Pocah
  • CandyBloco
  • Me beija que eu sou cineasta

Festas

Existem muitos blocos todos os dias no Rio de Janeiro, começando pela manhã e entrando na madrugada, mas caso você queira pegar uma balada com os amigos, também é possível encontrar opções carnavalescas. E o melhor: algumas possuem listas com entrada grátis ou valor simbólico de até R$10.

  • Pink Flamingo
  • Só Track Boa
  • Festa Auê + Jaloo + V de Viadão + New Kids + Sereias da Guanabara
  • Festa Auê + Mc Tha + Toco-xona + Bloconcé + Meu carna é funk
  • Bloco da Pocah no MAM

*São algumas que eu fui esse ano.

Se gostar e tiver oportunidade, vá assistir ao desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí. Nunca fui, mas tenho amigos que são completamente apaixonados pelo espetáculo da avenida e recomendam muito.

Candy Bloco no carnaval do Rio de Janeiro

E por último, mas não menos importante, aproveite os dias de sol e vá a praia pelo menos uma vez. A correria entre blocos e festa é grande, mas a praia do Rio de Janeiro é uma das opções mais legais.

Bônus

A versão online dos jornais, sites de notícia e o próprio aplicativo do carnaval na cidade traz a lista completa de todos os blocos, mas vou compartilhar com vocês a lista que recebi este ano da galera do #oquefazernorio:

Blocos da galera da antiga: Que merda é essa?, Banda de Ipanema, Simpatia é quase amor, Rola preguiçosa, Cachorro Cansado, Carmelitas

Blocos que ultrapassaram o limite da palavra cheio (e que quase sempre sai porrada no final): Fervo da Lud (bloco da Ludmilla), Bloco das Poderosas (Anitta), Monobloco, Bola Preta e Bloco da Preta (a Gil), Bloco da Favorita

Blocos em homenagem a cultura afro: Afoxé Raízes africanas, AfroReggae, Filhos de Gandhi, Cacique de Ramos

Blocos da galera sarada, crossfiteira, dotados de estética branca padrão, héteros na maioria: Desliga da Justiça (Gávea), Areia (Leblon), Vagalume O verde e Me Esquece (Jardim Botânico), todos os da Barra, Spanta Neném (Lagoa), Filhos da PUC (Gávea), Chora me Liga (sertanejo), Desliga da Justiça (Gávea)

Blocos das gays festivas nascidas no país do lacre: Viemos do Egyto, Bunytos de Corpo, Minha Luz é de Led, Bloconcé (bloco da Beyoncé), Candy Bloco, Toco Xona

Blocos pra quem escova o dente com energético: Boi Tolo, Techno Bloco

Blocos efusivos, alternativos, Ele não, sem gordofobia, sem machismo, mais amor por favor, esquerda festiva, purpurina até no c#: Orquestra Voadora, Charanga Talismã, todos de Paquetá, Amigos da Onça, Multibloco, Bloco Virtual, Prata Preta, Comuna que Pariu

Pra quem gosta de rock: Exagerado (Cazuza), Toca Rauuuuul!, Bloco do Rock, Bloco do Bukowski


Autor: Felipe Araújo, Colaborador(a)
Compartilhar: