08 de dezembro de 2017 Nordeste , Brasil

Alcântara: uma viagem ao passado bem preservado do Brasil colônia

Ruínas da Matriz de São Mathias e o Pelourinho

A cidade de Alcântara fica a 90 quilômetros de São Luís, no Maranhão, e a travessia pode ser feita de barco ou de balsa (ferryboat) e dura pouco mais de uma hora e 20 minutos. Pode fazer um bate e volta ou pernoitar lá e ver a revoada dos guarás, no entardecer.

A cidade possui cerca de 300 construções coloniais e o conjunto arquitetônico é tombado pelo Iphan desde 1948. São listados 26 pontos para serem visitados e o percurso pode ser feito a pé, mas se preferir há serviço de táxi e mototáxi, que se oferecem como guias logo no desembarque no porto do Jacaré.

Nas ruas, calçadas com pedras irregulares, você passeia por casarões restaurados e ruínas de mansões que pertenceram a nobres do período imperial, quando a economia girava em torno da exportação de algodão, açúcar, arroz e extração de sal. A abolição da escravatura apressou o declínio da cidade, que hoje se recorda daquela época através da grandiosidade dos monumentos que ainda resistem ao tempo.

Igreja Matriz de São Mathias - Construída  em 1622, só restam a torre e uma parede. Conta a história que a igreja foi atingida por um raio, que provocou um incêndio e o telhado caiu e não mais restaurada. A ruína é quase um símbolo de Alcântara.

Pelourinho - Erguido em frente ao prédio da Casa de Câmara e Cadeia, representa a autoridade das Câmaras dos municípios portugueses. Foi construído no século XVII e traz as armas portuguesas.

Casa de Câmara e Cadeia -  Foi construída contando com donativos dos moradores e a conclusão foi no ano de 1791. O prédio foi completamente restaurado na década de 1970 pelo Iphan e hoje abriga a Prefeitura Municipal e a Câmara Municipal.

Casa da rua das Mercês - O casarão também foi totalmente restaurado, seguindo os traços originais. Hoje abriga o escritório do Iphan.

Palácio do Imperador construído pelo Barão de Mearim

Palácio do Imperador I - Consta que o Imperador D. Pedro II manifestou o desejo de visitar Alcântara e logo dois barões, que pertenciam a Partidos opostos, mas da "base de apoio" à Corte - Liberal e Conservador - iniciaram a construção de duas mansões para receber a visita ilustre. D. Pedro desistiu da viagem e os casarões ficaram incompletos.

Posts

08 de dezembro de 2017 Passeio

Revoada de guarás no fim do dia em Alcântara é uma beleza!

É um espetáculo indescritível, que alia a chegada dos pássaros, em bandos, com o pôr do sol.

Leia mais

Autor: José Carlos Sá, Teu Norte
Compartilhar: