15 de janeiro de 2018 Sudeste , Brasil

Ouro Preto: uma cidade que não mudou com o tempo

Tiradentes domina a praça que tem o nome dele; ao fundo o prédio da Câmara e Cadeia, hoje Museu da Inconfidência (Foto 2009)

 

A cidade de Ouro Preto, incrustada na Serra do Espinhaço, é o berço da arte barroca no Brasil, isso devido à quantidade de ouro que foi retirado de suas minas desde a chegada dos primeiros bandeirantes, no final do século XVII. A cidade chegou a ter 80 mil habitantes, na década de 1770, o dobro de Nova Iorque àquela época.

 

As ladeiras são outra característica desta cidade centenária

 

Rica em história, as ruas de Ouro Preto contam fatos do apogeu à decadência do ciclo do ouro e ao renascimento da cidade, (re)descoberta, primeiro pelos hippies, na década de 1960, depois pelos turistas, que mantêm a economia do município, junto com indústrias extrativistas de minérios.

Passear por Ouro Preto é reencontrar os tempos dos tropeiros que levavam e traziam mercadorias do Rio de Janeiro e São Paulo para abastecer os garimpeiros; das ordens religiosas, dos políticos e dos inconfidentes, que se rebelavam contra o pagamento de impostos a Portugal.

 

Igreja de São Francisco

 

O destaque são as igrejas adornadas com trabalhos dos mestres Aleijadinho e Ataíde e ricamente ornadas em ouro. Obras que vão do barroco ao rococó, com influências portuguesas, espanholas e árabes.

Visitar a antiga Vila Rica é mergulhar em um livro de História!


Autor: José Carlos Sá, Teu Norte
Compartilhar: