04 de fevereiro de 2019 Ar livre , Aventura , Cultura , Passeio

Itens de necessidade básica para conhecer Buenos Aires

Destino: A encantadora Buenos Aires

“O que vou precisar levar que seja totalmente imprescindível?” era a minha dúvida. Minha primeira viagem internacional e eu não sabia o que podia ou não levar e, principalmente, o que precisava.

Li muita coisa que me ajudou e fui. Passados os perrengues, agora posso contar com propriedade o que levei, o que tive que comprar lá e o que acrescentaria.

Documentos

Passaporte é o item número 1 para quem quer fazer uma viagem internacional. Na América do Sul, ele não é indispensável, mas os carimbos de entrada e saída nesses países podem ajudar a conseguir outros vistos de países mais exigentes, como os Estados Unidos.

Em São Paulo, antes do embarque

Além do passaporte, levei também o RG. Tive que fazer um novo, pois o meu era de 2006 e me recomendaram fazer um mais atual, pois não aceitam com mais de 10 anos e foto de criança.

Para quem pensa em dirigir, é necessário uma CNH e PID (Permissão Internacional para Dirigir). No Detran eles instruem os países onde é necessário a PID e o procedimento para tirá-la.

Na mala

Muito importante antes de embarcar: xampu, condicionador, protetor solar, hidratante, perfume e qualquer outra coisa que você vá levar em frasco: somente em recipientes de até 100 ml. Do contrário, vai ficar na inspeção de embarque como o meu desodorante ficou ahahaha

Além disso, tenham sempre um adaptador de tomada internacional. As entradas variam de acordo com cada país e em Buenos Aires os nossos carregadores de telefone e notebook não encaixavam. Compramos um próximo a estação de metrô de Palermo por $ 120,00 pesos (R$ 17,00 aproximadamente).

Nos passeios

Ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Buenos Aires (Ezeiza), na fila do câmbio do Banco de a Nación, conhecemos o Cleiton. Um brasileiro que vai constantemente à cidade a trabalho e percebeu que estávamos perdidos.

Ele nos deu um mapa da cidade, que nos ajudou durante os dez dias para termos noção de onde estávamos, para onde poderíamos ir, onde encontrar a estação de metrô mais próxima e os pontos turísticos.

Cleiton também nos indicou onde comprar o chip para habilitar a rede e internet do celular com a operadora local. Obrigado pelas dicas e por ter roteado sua internet com a gente para chamarmos o Uber, Cleiton! <3

Se você é mais moderninho (a) e não quer usar o mapa, sem problemas. O Google Maps te ajuda de forma muito mais interativa. Nós também usamos bastante o aplicativo com a função “Explorar” para encontrar restaurantes, cafés e atrações por perto de onde estávamos. Depois que identificamos os destinos, basta clicar na opção “Rota”.

Só cuidado com a bateria do celular! É possível usar o Google Maps de modo off-line depois que a rota está traçada, mas, por via das dúvidas, carregue sempre uma bateria externa a mais para garantir que você vá e volta em segurança, sem nenhum imprevisto pelo caminho.


Autor: Felipe Araújo, Colaborador(a)
Compartilhar: